sexta-feira, 31 de julho de 2009

Nádias - Zinaldo e Nelson Magalhães Filho.



Nádias


Nádias, najas, nadjas e serpentes
Brilhos e venenosos rebrilhos de olhos
Ânsia de alcançar as estrelas
Incontido desespero de se ser azul
Talvez os reflexos destas festas
Não te adormeças
Não sei se você já marcou
Que as margaridas na se embriagam nunca
Não sei se você já marcou
E que a chuva amanhece os meus cabelos
Nádias, najas, nadjas e serpentes
Talvez você não tenha vindo de outros sóis:
Caminhões de cores vermelhas
Mas traz o estranho desespero dos seres azuis.

Letra: Nelson Magalhães Filho
Música: Zinaldo Velame

video

3 comentários:

Luciano Fraga disse...

Zina/Nelson, como sempre: venenosas palvras em jardins,grandiosa parceria, abração.

graça sena disse...

Nádia a comentar, parceria duca, quero ouvir. Agradeço pela visita e por seguir a rainha mórbida.

anjobaldio disse...

Cara, esses velhinhos aí ainda estão vivos???

Bar Delírio

Bar Delírio
Casa da Cultura. Arte de Roque Moraes.

Música de qualidade

Música de qualidade

Artes plásticas

Artes plásticas
Noites felinas. Nelson Magalhães Filho.

E.C. Bahia

E.C. Bahia

Música de qualidade

Música de qualidade
Zinaldo e o poeta Giordano Diniz.

Música de qualidade

Música de qualidade
Hermes Peixoto e Zinaldo. O poema Segredos de amor de Hermes foi musicado por Zinaldo e Ian Ferreira em 2008.