sexta-feira, 31 de julho de 2009

Nádias - Zinaldo e Nelson Magalhães Filho.



Nádias


Nádias, najas, nadjas e serpentes
Brilhos e venenosos rebrilhos de olhos
Ânsia de alcançar as estrelas
Incontido desespero de se ser azul
Talvez os reflexos destas festas
Não te adormeças
Não sei se você já marcou
Que as margaridas na se embriagam nunca
Não sei se você já marcou
E que a chuva amanhece os meus cabelos
Nádias, najas, nadjas e serpentes
Talvez você não tenha vindo de outros sóis:
Caminhões de cores vermelhas
Mas traz o estranho desespero dos seres azuis.

Letra: Nelson Magalhães Filho
Música: Zinaldo Velame

video

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Cruz das Almas 112 anos.

Praça da Igreja Matriz, 2009. Foto: Zinaldo.
Igreja Matriz, 2009.

Praça Senador Themístocles, 2009.
Rua da Vitória, 2009.
Praça Senador Themístocles, 2009.
Avenida Alberto Passos, 2009.
Praça Senador Themístocles, 2009.
Praça Senador Themístocles, 2009.
Avenida Alberto Passos, 1960. Bar de Barrão.
Praça Senador Themístocles, Fonte.
Praça Senador Themístocles, 1990.
Praça Senador Themístocles, 1990.
Avenida Alberto Passos.
Avenida Alberto Passos, 1960.
Avenida Alberto Passos, 1960.
Igreja Matriz, 1939.




Origem do nome
Há duas versões, uma refere-se à existência de um cruzeiro na antiga estrada de tropas,assim denominada, pois passava os tropeiros com seu gado e mantimentos para a região, por ser um local aberto o povo se reunia à noite para fazer novenas, invocar os santos e "rezar pelas Almas", expressão esta muito comum na Bahia, fortemente influenciada pela religião católica. A outra é mais de caráter sentimental e saudosismo pátrio. Alguns fundadores da vila, portugueses, teriam batizado a nova povoação com o nome de sua terra de origem, a Cruz das Almas Lusitana, uma homenagem aos portugueses que ali instalaram-se.

Hino
Cruz das Almas, recanto formoso,terra forte, aprazível, feraz,
a pujança da Pátria nos lembra
teu ardor de progresso e de paz.
Município de escol, dos primeiros que rebrilham ao sol da Bahia
teu sorriso de luz nos encanta e enternece de amor, dia a dia!
Cruz das Almas, torrão abençoado, que do viço das flores te enfeitas
respondendo aos trabalhos nos campos, com riqueza de tuas colheitas!
Amo ver-te sorrindo vaidosa, verdejante com as chuvas de abril!
No teu solo, entre as belas culturas, cresce o fumo melhor do Brasil!
Tabuleiro de frutos coberto
Vais crescendo em vigor e riqueza!
Cruz das Almas!
Teus filhos ditosos também crescem com tua grandeza!
Eu me orgulho de ti, Cruz das Almas, pois teu nome nos lembra o madeiro que,
benzendo o Brasil na Bahia, trouxe à pátria o Sinal do Cruzeiro.


Parabéns, Cruz!!!








Bar Delírio

Bar Delírio
Casa da Cultura. Arte de Roque Moraes.

Música de qualidade

Música de qualidade

Artes plásticas

Artes plásticas
Noites felinas. Nelson Magalhães Filho.

E.C. Bahia

E.C. Bahia

Música de qualidade

Música de qualidade
Zinaldo e o poeta Giordano Diniz.

Música de qualidade

Música de qualidade
Hermes Peixoto e Zinaldo. O poema Segredos de amor de Hermes foi musicado por Zinaldo e Ian Ferreira em 2008.